27 de abr de 2011

Cerâmica

Muita gente por aí, vendo artigos de cerâmica pensa: " ah... isso é facinho de fazer...." ' Qualquer um faz isso aí...' "Nossa, que caro!!!"

Só quem faz cerâmica, sabe o tempo e gastos que demandam cada peça. O processo, muito simplificado, é o seguinte:

Primeiro amassamos a argila para que ela fique uniforme, pois a parte mais externa da massa tende a se ressecar, a massa também não pode ficar com bolhas de ar.

Para que a massa fique bem bacana para trabalhar amassamos esse barro por algum tempo dando no final o formato de bola (para quem vai tornear), cilindro (para utilitários), cubo (para escultura) ou outro formato que seja necessário.

Depois de amassar o barro começamos o trabalho de modelagem que pode levar meses! É isso mesmo: meses! Isso porque algumas peças precisam estar um pouquinho secas, para acrescentarmos os detalhes como a asa de um bule é - o chamado ponto de couro, onde a peça está firme mas ainda é bem úmida.

Quando a peça já está terminada, há o processo de secagem que leva vários dias ou meses. Uma secagem rápida gera tricas que não podem ser arrumadas.

Com trabalho seco vem a queima: um dia somente para aquecer a 100 oC, para ajudar a retirar o resto da água que há na argila seca. Isso é imprescindível para que a peça não estoure dentro do forno.

No outro dia é feita a queima em si: 1 hora para cada 100 oC.
Faça as contas numa queima de "biscoito" a peça chega a 700 oC, ou seja, são 7 horas com um forno aceso.

*"Biscoito" é o nome dado a queima que transforma a argila crua em cerâmica, mas como a temperatura de queima é baixa 600 - 800 oC a cerâmica ainda fica porosa, e no caso de utilitários como: vasos, copos, pratos, etc..., a água pode vazar.

Depois da queima, vem o refriamento que leva o mesmo tempo que a queima, as peças têm de estar em temperatuara ambiente para serem retiradas do forno, caso contrário elas podem estourar com o choque térmico.

Algumas cerâmicas levam uma camada vitrificada, o que se faz banhando a peça com um esmalte cerâmico, e levando a peça para uma segunda queima que é a esmaltação: essa queima pode chegar a 1400 oC, dependendo da argila, e leva 14 horas mais o patamar que varia de ceramista para ceramista, no meu caso 1 hora mais ou menos.

Esse patamar consite em deixar o esmalte se uniformizar na temperatura constante final, ex: fica uma hora em 1200 oC.

Resfriamento igual: o tempo da queima é o tempo do resfriamento.

Algumas peças levam várias camadas de esmalte, e várias queimas. Primeiro as queimas de esmalte de maior temperatura, como os azuis e por último as queimas de menor temperatura, como os vermelhos e amarelos.

Quanto mais queimas, mais a cerâmica encolhe por causa da perda das moléculas de água.

E aí, é fácil mesmo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá amigo(a)!
Ficarei muito feliz com seu comentário.
Obrigada.
Bj da Ju